imagesO Movimento Pentecostal chegou à Bielorrússia antes da Primeira Guerra Mundial começando na região de Vitebsk Mogilev. Em 20 anos, o Movimento se espalhou por todo o oeste do país.

Os pioneiros foram Gregory Kraskovsky, Stepan Yarmolyuk que foram trabalhar nos Estados Unidos, onde eles se converteram ao Evangelho. Em 1919 Kraskovsky voltou para casa e começou a pregar o evangelho ao redor Novogrudka. E em 1923 ele voltou para a Brest Powiat, um ano depois Stepan Yarmolyuk fundou uma comunidade pentecostal com mais de uma centena de membros.

Em 1924, foi realizado o primeiro congresso pentecostal na Polônia em Kremenets, que reuniu ministros e pregadores da Ucrânia ocidental e Bielorrússia ocidental. Em 1924 (de acordo com algumas fontes em 1922) Stanislav Nedvetsky começou a pregar na área de Maladziechna Radoshkovichi.

Em 1928 em Danzig (Atual Gdansk) começou no Leste Europeu a missão “Assembleia de Deus”, que foi dirigido por Gustavo Schmidt. Cursos Bíblicos foram organizados para a formação de obreiros na missão em 1930, posteriormente foi inaugurando em Danzig o Instituto Bíblico, que formou muitos futuros líderes de igrejas pentecostais bielorrussas.

Mas o inimigo não satisfeito com o crescimento da obra levantou opositores, e a partir de 1930 no oeste da Bielorrússia autoridades polacas criaram vários obstáculos para as igrejas pentecostais, também por descriminação varias igrejas foram destruídas no Leste do país, região que era parte integrante da União Soviética. Com o início da II Guerra Mundial, em setembro de 1939, as atividades do Centro de União das Igrejas Pentecostais em Lodz e a missão do leste europeu em Danzig praticamente cessaram. Na Alemanha nazista, como na União Soviética, as igrejas pentecostais foram banidas.

Simultaneamente com a chegada do Exército Vermelho na população ocidental da Bielorrússia iniciou-se uma propaganda antirreligiosa de grande alcance. No entanto, as igrejas Pentecostais continuaram a existir e a trabalhar, mas a ocupação nazista em 1941 trouxe muito sofrimento ao povo da Bielorrússia, e uma intensificação na perseguição religiosa contra o pentecostalismo, em 1943 foi preso e executado pelos alemães Stanislav Nedvetsky que era um dos organizadores do movimento pentecostal.

1337164401_kostelEm 1944, após a chegada do exército soviético, foi fundada em Vilna o Conselho Nacional das Igrejas Pentecostais da Bielorrússia e Lituânia liderados por Ik Panko. O conselho começou a interceder junto das autoridades da URSS o registo das igrejas pentecostais. No entanto, o Estado soviético, considerou os pentecostais como “um elemento estranho ao poder soviético”, e recusou-se a registrá-los.

Por iniciativa do Conselho para os Assuntos Religiosos foram iniciadas negociações para se juntar cristãos evangélicos no Conselho da União dos Cristãos Evangélicos Batistas (AUCECB). Em agosto de 1945, depois de longas discussões, os líderes das Igrejas Pentecostais da Bielorrússia e Ucrânia, I. Panko, S. Vashkevich Bidash e Ponomarchuk assinaram o “Acordo sobre a associação de cristãos evangélicos batistas com os pentecostais” o acordo foi chamado de “O acordo de agosto”.

Após a assinatura, começou o processo de unificação, o que provocou desentendimentos de ambos os lados. Uma parte das comunidades pentecostais se recusou a se registrarem no conselho, assim de acordo com o Conselho para Assuntos Religiosos, em 1946 se registraram a AUCECB 83 igrejas pentecostais e 28 igrejas continuaram a agir ilegalmente.

Na década de 60 levantou-se uma nova onda de perseguição aos crentes. Em 1960 foi aceito pelo Comitê Central do PCUS medidas de eliminação da legislação soviética a autorização para os cultos. Como parte dessa decisão foi iniciado um plano para encerrar as atividades de todas as comunidades pentecostais. Nesse momento, a imprensa começou a publicar materiais sobre os “Os Irracionais Pentecostais” e os entregou aos “sacrifícios”. Estes anos foram mais um teste de fé para muitos líderes das comunidades pentecostais na Bielorrússia. No período de 1961-1964 apenas na região de Minsk, onde 13 comunidades pentecostais atuavam, a responsabilidade penal contra atividades religiosas processou mais de 20 pessoas.

Em meados da década de 1970, o Governo permitiu as igrejas pentecostais se registrarem de forma independente. Durante este período igrejas pentecostais foram registradas em Knotovschine, Pinsk, Orsha, Minsk, Nyasvizh, Pruzany. Assim, algumas das igrejas estavam na clandestinidade foram registradas independentes da AUCECB.

img_13214Em 18 de novembro de 1989 representantes de 118 igrejas evangélicas se reuniram em uma conferência em Minsk, e decidiram criar a União das Igrejas Pentecostais da Bielorrússia. Em março de 1991 foi realizada em Moscou um Congresso Pentecostal na URSS.

Atualmente segundo a Organização Portas abertas, na Bielorrússia a leis que requerem que todos os grupos religiosos obtenham permissão do governo para importar e distribuir materiais impressos. Também é requerido que todos os grupos registrados antes de 2004 peçam o registro novamente. Qualquer atividade religiosa não registrada é proibida.

A lei também confina a atividade de comunidades religiosas ao templo registrado. Os requerimentos para obter o registro são muito complexos, tanto para os grupos “tradicionais” como para as “seitas”.

Apesar de tanta oposição na Bielorrússia o Movimento Pentecostal é detentor do maior Conselho de União de Evangélicos, e possui a segunda maior denominação da Bielorrússia. Tal como os seus antecessores séculos atrás, eles continuam a trazer a mensagem do Evangelho as pessoas.